Loading...
Menu

Uma programação artística internacional, regular e diversificada, que contraria a sazonalidade. Uma nova marca para o território, de referência artística, cultural e turística. A Arte, cultura e natureza para descobrir o património local e viajar pelas serras, praias e vilas.

ALJEZUR E MONCHIQUE

LAVRAR O MAR promove, em época baixa, a dinamização das várias localidades da costa vicentina e da Serra de Monchique, através de uma acção eminentemente criativa e artística que dá a descobrir a residentes e turistas uma identidade local que se regenera e que se renova pela mão das artes e dos interlocutores locais.

LAVRAR O MAR consolida uma nova marca para a região através da fusão das práticas artísticas contemporâneas com o conhecimento ancestral local, a acontecer na natureza (vales e praias) e no património edificado e com história (igrejas e castelo, mosteiro, destilarias ou casas senhoriais). Uma experiência diferenciada que dá a descobrir a dimensão cultural da região, assente na sua singularidade e beleza natural distintiva.
LAVRAR O MAR instala no território uma rota cultural e turística de dimensão europeia, promovendo encontros transformadores uma contínua partilha humana entre artistas e populações locais, população estrangeira fixa e flutuante. Acreditamos que a Cultura é um activo de excepcional valor para a oferta turística.

O programa assenta na criação e apresentação de espectáculos únicos de dança, música, teatro, performance; imagem, exposições e projectos multidisciplinares, em momentos-chave a que chamámos ESPECTÁCULOS - em relação com festas de tradição local -, RESIDÊNCIAS ARTÍSTICAS e ENCONTROS ARTÍSTICOS, que culminam num FESTIVAL INTERNACIONAL DE ARTES PERFORMATIVAS.
Para ver, visitar, saborear, experienciar e regressar!

MARÇO A JUNHO 2018

Em 2018, começámos com residências artísticas entre Janeiro e Março, sobre assuntos como o medronho, o oceano, o poder e o trabalho.

Assim, a nossa programação volta-se de novo para o exterior a bordo de um camião TIR, recebendo VIAJANTES SOLITÁRIOS, uma peça intimista com encenação de Joana Craveiro - Teatro do Vestido, que parte de testemunhos reais de motoristas de longo curso, “verdadeiros filósofos da estrada”.

AS NOITES DAS FACAS LONGAS propõe uma nova incursão ao mundo misterioso deste fruto alquímico, o medronho. Virão novamente os escritores Afonso Cruz e Sandro William Junqueira, mais actores, actrizes e músicos. Será uma viagem inesquecível pelas destilarias, pelos enredos e romances escondidos nos seus espaços, para encerrar a história. Para revelar a última gota deste drama. Tudo e só na serra de Monchique.

MAR ADENTRO será um espectáculo de arte comunitária que levará quem sonha mergulhar para encher-se da vivência das águas e o que ela poderá trazer como sinal do que nos inunda, nos afoga e nos salva. Pensarmos que uma piscina poderá conter o oceano com as suas grandes vagas e tempestades, desta vez humanas e que se poderá transformar por algumas noites, num grande Teatro Aquático, envolto em nevoeiro e hologramas.

CANTINA será uma residência artística em Janeiro com um tempo de maturação. O resultado que culminará num espectáculo de teatro sensorial em que participam pessoas locais e artistas, será oferecido à prova do público
na primavera, entre 19 e 22 de Maio. Partindo do texto de Bertolt Brecht “Santa Joana dos Matadouros” sobre o poder e o trabalho naturalmente, esta peça nascerá pela mão da companhia belga LAIKA, que no ano passado nos trouxe o espectáculo PEEP & EAT e que agora fará esta criação connosco, em co-produção com Ville D’Anvers e Valletta 2018, Capital Europeia da Cultura, entre outros.

Entre os dias 24 e 29 de Abril haverá novo circo de novo, desta vez no Campo de Futebol dos Malhadais, em Odeceixe. Um espectáculo que fala da relação que nos suspende a respiração quando vemos animais - cavalos e pássaros - a dialogar com artistas de forma totalmente sensível e inteligente. Pensar o lugar do homem e do animal na grande ordem do mundo. Será BESTIAS, da companhia francesa-catalã Baro d'Evel.

Quase por fim, junto à Praia do Monte Clérigo haverá um concerto único, CREDO, com a Orchestra di Piazza Vittorio e o maestro Mario Tronco, uma oratória inter-religiosa que levará o público a uma das paisagens mais belas desta região para ouvir os deuses aproximarem-se do sol.

E terminamos com CLOWNS, questionando os limites da identidade entre o homem e o artista, reflectindo sobre o que significa ser clown nos dias de hoje. Um espectáculo que talvez resulte tragicómico ou, pelo menos, imprevisível.

Madalena Victorino & Giacomo Scalisi,

Direcção artística e programação Giacomo Scalisi e Madalena Victorino
Um projecto COSANOSTRA Cooperativa Crl.

EQUIPA E PARCEIROS

Direcção Artística e Programação
Giacomo Scalisi e Madalena Victorino

Produção
COSANOSTRA Cooperativa Cultural

Consultoria de Gestão
Adelaide Rocha

Consultoria Financeira
Sanda Correia

Comunicação
Telma Antunes

Produção Executiva
Remi Gallet, Olga Sancho, Sara Palácios, Teresa de Brito

Estagiários
Flávio Vitorino, Gisela Gaspar, Leonor Elisa, Mariana Marcelo

Direcção Técnica
Joaquim Madaíl

Design
1000olhos

UM PROJECTO:

PROJECTO FINANCIADO POR:

APOIO:

MEDIA PARTNER:

APOIO À COMUNICAÇÃO: