Loading...
Menu

30 NOVEMBRO · 01 DEZEMBRO
ALJEZUR

10 · 11 DEZEMBRO
MONCHIQUE

VASSILISSA

OU A BONECA NO BOLSO
PORTUGAL/ITÁLIA

Teatro para a Infância
ALJEZUR E MONCHIQUE

ALJEZUR
30 de Novembro · 17h30 para Famílias
01 Dezembro · 11h para Famílias

MORADA:
Espaço +, Rua da Escola Igreja Nova, 8670-063 Aljezur



MONCHIQUE
10 Dezembro · 16h30 e 18h30 para Famílias
11 Dezembro · 10h30 e 14h30 para Escolas

MORADA:
Antiga Serração de Monchique



DURAÇÃO: 1h00

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA:M/3

BILHETES: 3 € Adultos (+ 12 anos)
2€ Crianças (até 12 anos)
2€ Escolas


BILHETEIRA
Vassilissa é a história da passagem de mãe para filha, duma geração à outra, do poder feminino da intuição, simbolizado pela boneca que Vassilissa guarda sempre no seu bolso. É a capacidade de “ver” dentro, de ouvir, de sentir e saber rapidamente como agir, de compreender que às vezes as coisas não são o que parecem. Neste antigo conto russo, a procura do fogo obriga a menina a deixar a sua casa e a entrar numa vida nova, a iniciação começa pela execução desta tarefa. O objectivo é uma relação afectuosa e sincera com esta velha bruxa selvagem, Baba Jaga, à qual Vassilissa pede o fogo. Uma actriz interpreta a bruxa Baba Jaga e uma menina vinda do público será Vassilissa, a protagonista, os outros meninos assistem à história. As crianças não deverão, no entanto, ser preparadas antes do espectáculo. Não deverão conhecer a fábula, nem saber que uma das meninas irá participar na história. A finalidade do espectáculo é fazer teatro em conjunto com os espectadores-meninos – fazer da arte de brincar, a grande porta de entrada para o jogo teatral.

Website: www.obando.pt/pt/espectaculos/1998-2003/vassilissa-1998/
Livremente inspirado na obra de: Afanasiev
Texto: Bruno Stori
Encenação: Letizia Quintavalla
Interpretação: Suzana Branco
Apoio à Interpretação e Técnica: Nicolas Brites e Guilherme Noronha
Organização: O Bando
Co-produção: Teatro Delle Briciole e Centro Cultural de Belém
O BANDO
Fundado em 1974 e constituindo-se como uma das mais antigas cooperativas culturais do país, o Teatro O Bando assume-se como um colectivo que elege a transfiguração estética enquanto modo de participação cívica e comunitária. Na génese do Bando encontram-se o teatro de rua e as actividades de animação para a infância, em escolas e associações culturais, integradas em projectos de descentralização. Ao longo do seu trajecto, o grupo esteve ligado a múltiplos projectos nacionais e internacionais, e a aposta na itinerância continua a levar vários espectáculos por todo o país e além-fronteiras.